EMILCE STRUCCI & CARMO VASCONCELOS EM TRADUÇÃO

 

 

NUNCA SE SABE

Emilce Strucci


cuidado, a esa mujer le dispararon a traición y huye
anda herida de muerte, esperando algo
dicen que es peligrosa
que en ese estado puede deparar crueldades,
precisas municiones, y hasta cursilerías
afirman que donde hay luces ve estallidos
donde hay aglomeraciones pobreza ve
cuidado
porque herida de muerte como está
alcanza a divisar claramente los esqueletos detrás de la carne
los corazones atroces detrás de las muecas
no le importan la magia, el mal, los malvones
solamente confía en su soledad, los paredones y las leales sílabas
cuidado
la mujer en ese estado posee enorme dificultad para la metáfora
es capaz de bestialidad
y escalofriantes deformaciones del lenguaje
esa mujer herida de muerte puede decir:
cobarde, soberbio, mentirosa, criminal,
te deseo, te amo, sabia, muerto en vida
vegetal, venganza
con la misma facilidad con que cualquiera oculta,
mastica, pinta una pared,
conduce un automóvil,
se rasca la cabeza
o escupe sangre
cuidado
nunca se sabe cuándo una mujer está herida de muerte

 

***
Emilce Strucchi
Argentina, julio de 2004


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

NUNCA SE SABE

Carmo Vasconcelos

cuidado, essa mulher foi atraiçoada, e agora
anda ferida de morte, esperando algo
dizem que é perigosa
que nesse estado pode ser cruel
usar armas precisas, e até malabarismos
afirmam que onde há luzes vê explosões
onde há aglomerações vê pobreza
cuidado
porque ferida de morte como está
claramente consegue ver os esqueletos por detrás da carne
os corações atrozes por detrás das fisionomias
não lhe importam a magia, o mal, os cravos
apenas confia na sua solidão, nos paredões, e nas sílabas correctas
cuidado
a mulher nesse estado tem enorme dificuldade em entender a metáfora
é capaz de selvajaria
e de horripilantes deformações da linguagem
essa mulher ferida de morte pode dizer:
cobarde, soberbo, mentirosa, criminosa,
desejo-te, amo-te, sabia, morto-vivo,
vegetal, vingança
com a mesma facilidade com que qualquer um cala,
mastiga, pinta uma parede,
conduz um automóvel,
coça a cabeça
ou cospe sangue
cuidado
nunca se sabe quando uma mulher está ferida de morte

***
Carmo Vasconcelos

Lisboa-Portugal, Julho de 2004

 

 

http://br.geocities.com/myselfthepoet/carmovasconcelos_e_emilcestrucchi.html

  

 

 

Esta entrada foi publicada em TRADUÇÃO. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s