MARIA CRISTINA GARAY ANDRADE & CARMO VASCONCELOS EM TRADUÇÃO

 

 

A LOS PASAJEROS DEL MUNDO

Maria Cristina Garay Andrade

 

 

 

Los días atesorados van conformando la vida

En ese tiempo invisible de mediciones terrenas

Es que vamos viviendo como fortuitos viajeros

De ciclos que nos convierte en ocasionales pasajeros

 
Eterno de eternidad se cultiva este suelo

Inagotable la semilla que abona como modelo

De nuestro vientre materno al mañana lo nutrieron

El niño nuevo que nace del amor lo concibieron


Y al veterano que ya su traje raudo debe colgar

Es su obligación dejar como fuente de sabiduría

El respeto por la vida como emblema universal

Llegando en la meta final con lega sapiencia ancestral

 

En las horas postreras cuando los de hoy seamos recuerdo

Y en la paz basemos la simiente de oriente a occidente

Veremos que el sol naciente perdurará para siempre

En el horizonte futuro hay que darlo por seguro

 
Consigamos acabar con la violencia entrando en razones

Reflexión para las generaciones de todas las naciones

Solo se podrán salvar de esto con el amor más puro

Por solidarias peticiones mundiales hagan en conjuro

Habremos logrado entonces de hecho perecer la guerra

En este viaje de ida Dios en armonía a la vida nos aferra

Pasajeros del mundo hagamos un noble mensaje capaz

Que haga eterna la paz para que sobreviva la tierra!!!

 

***
Argentina

16/Novº/2009

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~ 

 

AOS PASSAGEIROS DO MUNDO

Carmo Vasconcelos~

 

 

Os dias acumulados vão formando a vida,

Neste tempo invisível de parâmetros terrenos,

E assim, vamos vivendo como fortuitos passageiros,

Em ciclos que nos convertem em viajantes ocasionais.

 

 Eterno de Eternidade se cultiva este chão

Da inesgotável semente que garante como modelo

O nosso ventre materno, e que, amanhã, alimentará

O novo menino que nasce, e em amor foi concebido.

 

E ao veterano que ainda usa a violência, deve já parar,

Pois, é sua obrigação deixar como fonte de sabedoria,

O respeito pela vida como emblema universal,

Chegando à meta final com sapiência ancestral.

 

 Nas horas vindouras, quando os de hoje formos só lembrança,

E a semente da Paz seja lançada, de oriente a ocidente,

Veremos que o Sol nascente perdurará para sempre,

E no horizonte futuro temos de  assegurar:

 

 Conseguir acabar com a violência, entrando em razões

E reflexões com  as gerações de todos os países,

Que só poderão salvar-se,  se, com o amor mais puro,

Espalharem pelo Mundo petições solidárias e unânimes.

 

 Teremos logrado, então, o feito de acabar com a guerra,

Nesta viagem em que Deus, em harmonia, à vida nos aferra.

Passageiros do mundo, espalhemos uma nobre e capaz missiva

De fazer eterna a Paz, para que a Terra sobreviva!!!

 

*** 

Lisboa/Portugal

16/Novº/2009

 

 

In:  http://mariacristinadesdemissilencios.blogspot.com/

 

 

Esta entrada foi publicada em TRADUÇÃO. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s